Dríades – As protetoras das Florestas – Mitos da Mitologia

Da palavra grega drus, “carvalho“, vem o nome de Dríades que eram as ninfas protetoras das florestas e dos bosques. Tão robustas como frescas e lépidas, elas podiam errar em liberdade, formar coros de dança em redor dos carvalhos que lhes eram consagrados e sobreviver às árvores colocadas sob a sua proteção.

Conta-se entre os mitos da mitologia que dentro de cada carvalho existia uma ninfa Dríade, que o protegia e não se afastava muito de sua árvore.


Podiam casar; Eurídice, mulher de Orfeu era Dríade. Acreditando os povos na existência real dessas divindades florestais, tinham muito cuidado em destruir os grandes bosques.

Para cortar as árvores era preciso consultar os ministros da religião, e deles obter a certeza de que as Dríades as tinham abandonado.

driades

Representam-se essas ninfas sob a forma de mulheres cujo corpo, na sua parte inferior, termina em uma espécie de arabesco, exprimindo por seus contornos alongados um tronco e as raízes de uma árvore. A parte superior, sem nem um véu, é sombreada por uma abundante cabeleira que flutua sobre as espáduas ao capricho dos ventos.

Enfeita-lhes a cabeça uma coroa de folhas de carvalho. Algumas vezes têm uma acha na mão, porque se acreditava que essas ninfas puniam os ultrajes feitos às árvores sob a sua guarda.