Thanatos (Tanatos) – A Morte na Mitologia Grega

Thanatos (Tanatos), ou a Morte, é um nome grego masculino. Filho da Noite, que o concebera sem o auxilio de nenhum outro deus, irmão do Sono (Hipnos), inimigo implacável do gênero humano, odioso mesmo aos Imortais, ele fixou a sua morada no Tártaro, segundo Hesíodo, diante da porta dos Infernos, segundo outros poetas.

Foi nesses lugares que Hércules o amarrou com laços de diamantes, quando foi libertar Alceste. O seu nome era raramente pronunciado na Grécia, porque a superstição temia despertar uma idéia desagradável, fazendo acordar no espírito a imagem da nossa destruição.


Os eleanos e os lacedemônios veneravam a Thanatos (Tanatos) com um culto particular, mas não se conhecem as cerimônias desse culto. Os romanos também lhe ergueram altares.

Thanatos  tinha um coração de feno e entranhas de bronze. Os gregos representavam-no sob a figura de uma criança de cor preta, com os pés tortos, acariciada pela Noite, sua mãe. Os seus pés, às vezes, mesmo não sendo disformes, estão cruzados, símbolo da posição incômoda em que os corpos ficam na sepultura.

Representação de Thanatos (Tanatos ou Morte) na Mitologia

tanatos-mitologia-morte

Essa divindade também aparece nas esculturas antigas, com o rosto desfeito e emagrecido, os olhos fechados, cobertos com um véu, e tendo, como o Tempo, uma foice na mão. Esse atributo parece significar que os homens são ceifados em multidão, como as flores e as ervas efêmeras.

Os escultores e os pintores conservaram essa foice à Morte e lhe deram a mais horrível expressão de semblante. A maneira mais comum de representá-la é sob a forma de esqueleto.

Os atributos de Thanatos e da Noite são as asas e o facho derrubado; mas o primeiro se distingue por ter uma urna e uma borboleta. Julga-se que a urna contém cinzas, e a borboleta abrindo o vôo é o emblema da esperança de uma outra vida.