Mitologia Grega – Absolutamente Tudo Sobre a Mitologia da Grécia

A mitologia grega é uma das heranças mais fantásticas da humanidade. A palavra mitologia designa o conjunto dos mitos que pertencem a um povo, a uma civilização, a uma comunidade, assim como o seu estudo. O vocábulo grego mythos (mito) significa “palavra”, “fala”, “conto” ou “história”. Aqui, nosso propósito é mostrar que tipo de relatos eram produzidos pela imaginação ativa dos povos que chamamos coletivamente de gregos.

Matéria de extremo fascínio, a mitologia grega é a mais rica, variada e, ao mesmo tempo, a mais clara e brilhante que conhecemos. Temas universais são constantes nos mitos dos deuses gregos, que apresentam imagens arquetípicas de aspectos humanos básicos —paixões, psicologia, costumes, relações familiares, vínculos sociais e aspirações políticas.

Os gregos eram sadios, joviais, lúcidos, amante da beleza, otimistas e nem um pouco inclinados às coisas do outro mundo. Por isso suas lendas, quase sem exceção, mostram-se isentas dos traços nebulosos, grotescos e horripilantes. Elas contaminaram as tradições populares de povos menos dotados. Mesmo seus monstros não são muito feios e disformes; seus fantasmas e demônios quase não assustam.



deuses-da-mitologia-grega



Como Surgiu a Mitologia Grega?

Para entender o surgimento da mitologia na Grécia antiga, o primeiro passo é compreender que nesse período os gregos eram politeístas, ou seja, esse povo adorava vários deuses. A crença dos antigos gregos era de que os deuses possuíam forma humana, ainda que fossem mais poderosos e belos que os homens.

Eles também acreditavam que tais deuses eram imortais, detentores de poderes mágicos e que manifestavam qualidades e defeitos parecidos aos dos humanos.

O surgimento da mitologia na Grécia Antiga ocorreu devido à necessidade que os gregos tinham de explicar a origem da vida e compreender os problemas próprios da existência. Exatamente por esse motivo, a mitologia é repleta de deuses imortais que se assemelham aos seres humanos.

A mitologia grega foi originada da união entre as mitologias micênica e dórica, sendo que seu desenvolvimento ocorreu aproximadamente em 700 a.C.



Os 12 Deuses do Olimpo na Mitologia Grega

São as figuras mais poderosas e com alto prestígio na mitologia, sendo que os principais deuses gregos são os doze que habitavam o Monte Olimpo.

  1. Afrodite – deusa do amor, símbolo da beleza
  2. Apolo – deus da luz, da medicina, das artes e da música
  3. Ares – deus da guerra, filho de Zeus
  4. Ártemis – deusa da lua
  5. Atena – deusa da sabedoria, corajosa guerreira
  6. Deméter – deus da terra fértil
  7. Dionísio – deus da festa, do vinho e do prazer
  8. Hermes – deus do vento
  9. Hefesto – deus do fogo e dos ferreiros
  10. Hera – deusa da maternidade e do casamento
  11. Poseidon – deus dos mares, irmão de Zeus
  12. Zeus – deus dos deuses

Consistem nos semideuses (filhos de deuses com humanos). Teseu, Belerofonte e Perseu são os heróis gregos que mais se destacam nas narrativas dos mitos.

As Ninfas

As ninfas são personagens mitológicas sempre belas e alegres que tinham como uma das principais atribuições cuidar das florestas. Alguns exemplos de ninfas na mitologia grega, são:

  • As Alseídes: ninfas das flores e bosques;
  • As Dríades: ninfas dos carvalhos;
  • As Nereidas: ninfas da água.

As Sereias

Muito conhecidas na literatura, as sereias são figuras bem femininas que tinham metade do corpo na forma de mulher e a outra metade na forma de peixe.

Centauros

São seres muito fortes que apresentam metade do corpo na forma humana e outra metade na forma de cavalo. Entre os centauros mais conhecidos na mitologia grega está Quíron (amigo de Héracles, criado por Cronos).

Sátiros

Os sátiros são caracterizados por ter um corpo de homem que apresenta também patas de bode e chifres. Eles correspondem aos faunos mencionados na antiga mitologia romana. Um dos sátiros gregos mais conhecidos é Pã (deus dos bosques).

Górgonas

São personagens femininas que tinham cabelos de serpentes. O maior exemplo das górgonas é Medusa.

Características dos Heróis Gregos

Nas narrativas da mitologia grega é possível encontrar as características atribuídas aos heróis, fazendo que essas histórias antigas exerçam ainda mais fascínio. Vejamos quais são essas características.

  • De maneira geral, o herói grego encarna elementos extraordinários, relacionados ao seu nascimento ou infância. O herói sempre encontra algum tipo de oposição, sendo necessário provar seu valor e superar um ou mais desafios.
  •  O maior inimigo ou inimigos do herói quase sempre o instigam a realizar grandes façanhas.
  •  Nas histórias mitológicas, o herói muitas vezes é socorrido por no mínimo um aliado (que pode ser humano ou divino).
  •  Os heróis gregos enfrentam obstáculos considerados quase que insuperáveis, associados quase sempre a trabalhos muito penosos ou buscas em regiões longínquas.
  •  Os desafios enfrentados pelos heróis estão ligados a questões espirituais, sexuais ou físicas devido aos conflitos existentes com adversários monstruosos, humanos ou divinos.
  •  Nas histórias dos heróis gregos geralmente há menção de algum tipo de “tabu” como, por exemplo, ingerir algum fruto proibido.
  •  A vitória do herói é muitas vezes recompensada com a riqueza, poder, casamento ou segurança política.
  •  Nas histórias dos heróis gregos, geralmente a sabedoria é obtida em virtude do sofrimento, sendo que a lucidez espiritual definitiva consiste em uma das maiores conquistas dos heróis. Tal lucidez traz redenção, renascimento e purificação.

Deuses e Heróis da Mitologia Grega

Os heróis da mitologia grega, via de regra, sofrem, mas não ficam de coração partido.  Eles podem ser golpeados pelo fado adverso, mas não abatidos. Metem-se em aventuras extraordinárias, que no entanto sempre têm algo de razoável.

Quanto aos deuses e outros personagens sobrenaturais da mitologia grega, não passam de homens e mulheres glorificados, que permanecem humanos, muito humanos — e ao todo sensatos e justos.

Por todas essas características contidas nas histórias dos heróis gregos, elas se tornaram fonte de conhecimento e sabedoria, tendo exercido grande influência na cultura, filosofia, história, psicologia, arte e demais áreas de conhecimento em todas as sociedades.

A humanização dos heróis também é um fator importante para compreender as sociedades antigas, já que as histórias mitológicas manifestam questões cotidianas que são muito comuns também nos dias de hoje.

Humanização dos Heróis

Alguns heróis, no entanto, têm pés de barro e nem todos vivem felizes para sempre: muitos chegam a ser subjugados pelas mulheres com quem se relacionam. Também as heroínas ensejam motivos intrigantes e variados. São quase sempre de estirpe real ou divina, exibem uma beleza extraordinária e um imenso poder, e tornam-se mães de heróis.

A vida das heroínas traz extraordinária complexidade, que não é fácil resumir. Na verdade, a generalização carece de sentido sem os exemplos específicos das lendas. Como amante ou esposa de um herói, a heroína pode empreender grandes façanhas em conseqüência de sua apaixonada devoção.

Mitos e Lendas da Mitologia

lendas-mitos-mitologia-grega

A mitologia grega é rica em personagens fantásticos e complexos. Existem diversos mitos que até hoje ainda servem de combustível para filmes, músicas e arte em geral.

Podemos citar diversas histórias fantásticas, como a de Thanatos, surgindo como a representação da Morte na mitologia grega. Nesse mundo obscuro, apresentamos em nosso site a lenda de “Caronte, o barqueiro do inferno“.

Mas não é só de mitos e lendas obscuras e ligadas ao inferno que vive a mitologia, existindo diversas histórias de romance que até hoje servem de inspiração para muitas obras. Além disso, os seres mitológicos apresentamos nas obras, ainda reinam na imaginação das pessoas. É o caso do Centauro, do Minotauro e até mesmo das Sereias.

Mitologia Grega e Sociedade

As maiores influências da mitologia grega foram perceptíveis principalmente nas relações sociais e na região.

Na Grécia Antiga, o aprendizado da mitologia grega era um dos principais ensinamentos oferecidos às crianças, sendo aplicado com o objetivo de orientá-las sobre os fenômenos naturais e demais acontecimentos que não tinham ação humana.

Além das crianças, os nobres, as famílias da aristocracia grega, médicos e demais profissionais de prestígio eram educados por meio dos mitos gregos. Os comerciantes também tinham por costume o culto frequente aos deuses gregos, especialmente Hermes (deus associado ao comércio).

Nos cultos aos deuses da Grécia, eram comuns as orações, construção de templos e os sacrifícios de animais. Além dessas práticas, eram organizados diversos festivais e jogos com o objetivo de homenagear os deuses e reunir a população.

Os ensinamentos mitológicos são observados em diversas obras filosóficas, que a Grécia foi o berço da cultura da humanidade.

Mitologia Grega e Religião

Os cultos associados à mitologia grega eram oriundos de uma religião politeísta, ou seja, acreditava-se na existência de vários deuses. A partir disso, é possível afirmar que o conjunto de mitos criados pelos gregos na época era equivalente ao que hoje a sociedade considera como religião.

Determinadas obras de origem mitológica eram consideradas sagradas pelos gregos pela crença de que tais escritos haviam sido inspirados pelos deuses. Essas obras são:

  • Teogonia (Hesíodo)
  • Os Trabalhos e os Dias (Hesíodo)
  • Ilíada (Homero)
  • Odisseia (Homero)
  • Odes (Píndaro).

Os cultos realizados pelos gregos aos deuses do Olimpo eram realizados em altares ou templos comuns. Era também comum o culto aos heróis históricos, que era feito nas respectivas tumbas.

Os antigos templos gregos eram construídos com pedras nobres, principalmente o mármore, e harmonicamente decorados com esculturas dos deuses ou heróis. Nos teatros da Grécia Antiga também era comum a construção de teatros em homenagem às figuras mitológicas. O maior exemplo dessa prática é o teatro de Dionísio.

Os habitantes da Grécia Antiga acreditavam que os deuses atuavam e interferiam de forma direta nos assuntos cotidianos da humanidade, sendo preciso sempre acalmar os deuses por meio de sacrifícios.

Fontes Literárias e Arqueológicas da Mitologia

Para comprovar a origem e desenvolvimento da mitologia grega, as principais fontes estão ligadas à literatura e arqueologia. Vejamos cada uma delas.

Fontes Literárias

  • Biblioteca Mitológica: trata-se do único manual mitográfico que sobrou da Grécia Antiga, sendo de autoria de um escritor chamado Pseudo-Apolodoro.
  • Ilíada: poema épico escrito por Homero.
  • Odisseia: poema épico escrito por Homero.
  • Teogonia: um dos documentos mais recentes a respeito dos mitos gregos, de autoria de Hesíodo.
  • Os Trabalhos e os Dias: poema didático, também de autoria de Hesíodo, que aborda vários mitos, especialmente o Mito de Pandora e o de Prometeu.

Outros nomes de autores importantes que abordaram a mitologia grega em suas obras, foram:

  •  Píndaro
  •  Simónides de Ceos
  •  Teócrito
  •  Eurípedes
  •  Sófocles
  •  Ésquilo
  •  Heródoto (historiador)
  •  Diodoro Sículo (historiador)
  •  Pausânias (geógrafo)
  •  Estrabão (geógrafo)
  •  Ovídio
  •  Sêneca
  •  Virgílio
  •  Antonino Liberal
  •  Quinto de Esmirna
  •  Apolónio de Rodes
  •  Calímaco
  •  Eratóstenes
  •  Partênio
  •  Apuleio
  •  Petrônio
  •  Longo
  •  Heliodoro
  •  Higino
  •  Filóstrato
  •  Calístrato
  •  Arnóbio
  •  João Tzetzes
  •  Hesíquio de Alexandria
  •  Eustácio de Tessalônica

Fontes Arqueológicas

As descobertas arqueológicas quanto à civilização micênica, uma das que deram origem à mitologia na Grécia Antiga, ocorreram durante o século XIX. A

descoberta da civilização minoica em Creta, outra que exerceu influência na mitologia grega, aconteceu no decorrer do século XX.

Tais descobertas foram de imensa ajuda no esclarecimento de inúmeras dúvidas quanto às questões da mitologia grega, caracterizada pela crença em vários deuses e heróis.

As descobertas arqueológicas são manifestadas em artefatos como estatuetas, plaquetas, diademas de ouro, pérolas, agulhas, colares e anéis.

Outros elementos arqueológicos, tais como desenhos geométricos em cerâmica e vasos também contribuíram para fundamentar a existência das crenças que faziam parte da mitologia grega por tantos séculos.

Os nomes de maior destaque quanto às descobertas arqueológicas sobre a origem e desenvolvimento da mitologia grega são:

  • Heinrich Schliemann (arqueólogo amador alemão, responsável pelas descobertas relacionadas à civilização micênica).
  • Arthur Evans (arqueólogo britânico responsável pelas descobertas à civilização minoica, em Creta).

A fascinante mitologia grega é detalhadamente estudada em alguns cursos universitários em todo o mundo, tais como História, Filosofia, Antropologia e Artes, tendo participação também em outras áreas de conhecimento



Outros Assuntos: