Deméter (CERES) – A Deusa Grega da Mitologia

Deméter (também conhecida como CERES), a deusa da agricultura e fertilidade, é uma das figuras mais importantes na mitologia grega, sendo geralmente associada à exuberância da vegetação e colheitas fartas.

Não é sem motivo que Deméter é uma das deusas mais importantes na mitologia grega. Associada ao cultivo da terra, colheita e fertilidade, é uma das entidades mais cultuadas no mundo antigo. Além disso, Deméter também está relacionada ao direito sagrado e possui, de acordo com as antigas crenças, o ciclo da vida e da morte.

Os gregos da antiguidade acreditavam que essa deusa foi a grande reveladora da agricultura para os seres humanos, tendo fornecido orientações principalmente quanto ao cultivo do trigo e do milho. É exatamente por esse motivo que Deméter (Ceres), embora atue em diversas áreas, é mais conhecida como a deusa da agricultura.



Pais, Irmãos e Filhos de Deméter (Ceres)

Deméter é filha de Cronos e Reia (deusa associada à fertilidade), tendo como irmãos: Zeus, Héstia, Hera e Poseidon. Com o irmão Zeus, Deméter teve uma filha chamada Pérsefone (deusa das ervas, flores, frutos e perfumes).



deusa-ceres

A Adoração da Deusa

Por ser considerada a “boa deusa” entre os gregos, Deméter recebia diversas honras. Entre elas, era organizado o festival da fertilidade com participação exclusiva das mulheres com o objetivo de oferecer um culto especial à deusa. Na mitologia romana, a deusa Deméter equivale à deusa Ceres.

A figura de Deméter era representada com uma coroa elaborada com espigas de milho, sendo que os animais sagrados dessa deusa eram o porco e a serpente. Um dos símbolos mais associados à deusa Deméter é uma tocha.

Além do porco, da porca, ou da marrã, Ceres aceitava também o carneiro como vitima. Nas suas solenidades, as grinaldas de que se fazia uso eram de mirto ou de narciso; mas as flores eram interditas porque, colhendo-as, Prosérpina foi raptada por Plutão.Só a papoula lhe era consagrada, não só porque cresce no meio dos trigais, como também porque Júpiter fez com que Ceres a comesse para dar-lhe sono e por conseguinte uma trégua à sua dor.



O Mito Mais Conhecido de Deméter (CERES)

A deusa Deméter possuía uma forte ligação com sua filha, a deusa Perséfone. Quando Hades (deus do submundo) sequestrou Perséfone e a estuprou com o consentimento de Zeus, Deméter ficou triste e enraivecida. Sua ira foi tanta que a deusa parou as

estações do ano, provocando uma imensa desolação e fome sobre a Terra, já que as plantas estavam impedidas de produzir.

Quando a vida na Terra estava quase extinta, Zeus resolveu interferir e enviou um mensageiro ao submundo para resgatar Perséfone. No entanto, antes de permitir a libertação de Perséfone, Hades fez com que ela comesse um fruto proibido, fazendo com que ela ficasse ligada a ele.

Zeus, Hades e Deméter fizeram um acordo no qual Perséfone ficaria com a mãe metade do ano e na outra metade ficaria com o marido. Dessa forma, quando é primavera e verão, época de grande abundância de vegetação, significa que Perséfone está com sua mãe e por isso Deméter é feliz e generosa.

Nas épocas menos produtivas, ou seja, outono e inverno, Perséfone estaria com o marido. Devido à tristeza de Deméter nesse período, a Terra passa a produzir menos.

8 Curiosidades Sobre Deméter

1 – Por ser a deusa da agricultura, Deméter está ligada à fartura na colheita de frutos e cereais.

2 – A mitologia grega refere-se a Deméter como a deusa mais generosa do Olimpo. No entanto, tal generosidade lhe teria causado momentos dolorosos.

3 – Deméter foi violentada por seu irmão Poseidon.

4 – Bastante revoltada com o abuso sofrido por parte de seu irmão Poseidon, Deméter fugiu do Olimpo e deixou a Terra novamente estéril.

5 – Para fugir de Poseidon (deus dos oceanos), Deméter transformou-se em égua. No entanto, Poseidon se transformou em um cavalo e a fecundou de gêmeos. Um desses filhos recebeu o nome de Árion. A outra filha, chamada Despina, era considerada a deusa das sombras infernais, sendo sua figura associada ao frio do inverno. Despina era o oposto de sua irmã Perséfone, que tinha como maior símbolo a primavera.

6 – Embora estivesse se sentindo muito triste com os acontecimentos, Deméter sentiu falta de sua morada no Olimpo e de seus outros irmãos. Depois de banhar-se em um rio que era conhecido por levar embora todas as mágoas, a deusa retornou ao Olimpo.

7 – Deméter conheceu o amor verdadeiro com um mortal chamado Iasion. No entanto, com muito ciúme, Zeus o matou com um raio.

8 – A união, ainda que temporária, de Deméter e Iasion gerou Pluto (deus da caridade) que vaga pelo mundo. As antigas lendas gregas mencionam que quem encontra esse deus se torna muito rico.

Deméter se transformou em égua…

Também foi amada por Netuno, e para escapar à sua perseguição, transformou-se em égua; o deus, que percebeu esse ardil, metamorfoseou-se em cavalo; dos amores de Netuno nasceu-lhe o cavalo Arion.

Envergonhada com a violência de Netuno, ela pôs luto, e se escondeu em uma gruta, onde ficou tanto tempo que ia matando à fome o mundo pois que, durante a sua ausência, a terra ficara estéril. Enfim, Vã, estando caçando na Arcádia, descobriu o seu retiro, informou a Júpiter, o qual, por intervenção das Parcas, apaziguou e devolveu-a ao mundo privado dos seus benefícios.

Os Figalianos, na Arcádia, ergueram-lhe uma estátua de pau, cuja cabeça era a de uma égua, com a crina donde saiam dragões. Era chamada a Ceres negra. Tendo-se queimado incidentalmente essa estátua, os Figalianos descuidaram-se do culto de Ceres, e foram castigados por uma horrível penúria que só cessou quando, pelo conselho de um oráculo, a estátua foi restabelecida.

Os cultos e as festas para a Deusa

Na Grécia, as Demetrias, Cereais ou festas de Ceres eram numerosas. As mais curiosas eram certamente aquelas em que os adoradores da deusa se fustigavam mutuamente com chicotes feitos de cascas de árvores. Em Atenas havia duas festas solenes em honra de Ceres, uma chamada Eleusínia, a outra Temosforia. Dizia-se que tinham sido instituídas por Triptólemo. Imolavam-se porcos, por causa dos estragos que causam aos bens da terra, e nessas ocasiões faziam-se libações de vinho doce.

Mais tarde essas festas foram introduzidas em Roma: eram celebradas pelas damas romanas vestidas de branco. Mesmo os homens, simples espectadores, vestiam-se com tecidos da mesma cor. Havia a crença de que essas festas, por serem agradáveis à deusa, não deviam ser celebradas por gente de luto. Foi por esta razão que elas foram omitidas no ano da batalha de Canes.

A Representação de Deméter nas Artes

CeresDeméter é habitualmente representada sob o aspecto de uma bela mulher, de talhe majestoso, e tez rosada; os seus olhos são lânguidos, os cabelos louros, caindo desordenadamente sobre os ombros.

Além de uma coroa de espigas de trigo usa um diadema mais alto. As vezes é coroada por uma grinalda de espigas ou de papoulas, símbolo da fecundidade. O seu peito é forte, os seios opulentos; segura com a mão direita um feixe de espigas, e com a esquerda uma tocha ardente.

O vestido cai-lhe até os pés, e muitas vezes leva um véu atirado para trás. As vezes representam-na com um cetro ou uma foice; duas criancinhas junto do seu seio, cada uma segurando uma cornucópia, indicam que ela é a nutriz do gênero humano. Traz um vestido amarelo, cor dos trigos maduros.

Aqui ela é representada na atitude triunfante da deusa das searas. Está inteiramente vestida, símbolo da terra que oculta aos olhos a sua força fecunda e só deixa ver o que produz.

Com a mão direita prende o véu sobre o ombro esquerdo; com a outra aperta contra si um ramalhete dos campos; a coroa de espigas está colocada sobre a cabeleira artisticamente disposta, e levanta ao céu um olhar satisfeito com expressão de reconhecimento pelos outros deuses que a secundaram.

Categoria: Deuses Gregos



Outros Assuntos: